sábado, 18 de junho de 2016

PARA OS LEITORES DE POR LUGARES INCRÍVEIS

     Quem leu Por Lugares Incríveis sabe que os lugares visitados pelo Finch e a Violet realmente existem e, na edição brasileira, há até um mapa com uma listagem de todos eles. Para aqueles que não procuraram por todos, fiz um "especial" com eles e algumas informações sobre. E uma novidade: a Jennifer Niven, autora do livro, divulgou 2 capítulos EXCLUÍDOS do livro + a letra completa da música "You Make Me Happy" (tudo aqui traduzido!).
     Atenção: este post pode conter SPOILERS do livro.

     Uma informação útil: o ator do Finch ainda NÃO foi escolhido, o da imagem acima (Nicholas Hoult) foi em quem a Jennifer se baseou para "montar" o personagem fisicamente. Mais uma informação útil: se você gostou de Por Lugares Incríveis e quer saber mais sobre o "Holding Up The Universe", próximo livro da autora, clique aqui para ler os primeiros capítulos (e saber de uma novidade exclusiva!).

CAPÍTULOS EXCLUÍDOS

     Recentemente, a Jennifer compartilhou dois capítulos excluídos do livro, um com o ponto de vista da Violet e o outro, do Finch. Neles, eles visitam o "Carpenter's Cemetery" e sobem os supostamente assombrados "One Hundred Steps" (Os Cem Passos). A tradução foi feita pelo Paginou.

Violet
20 de setembro

     Os moradores o chamam de Carpenter's Cemetery, mas nós preferimos o nome que o Sr. Ivers deu a ele: One Hundred Steps. Não parece muito mais que isso, apenas um velho cemitério abandonado na encosta nas redondezas do Brazil, Indiana. A escada é longa e larga e feita de pedra rachada e em ruínas, as ervas daninhas que crescem através. Nós estamos na parte inferior e olhamos para cima. Somos os únicos aqui.
     Theodore Finch diz:
     — Acho que tecnicamente nós deveríamos fazer isso à meia-noite, mas como você tem que voltar para casa antes de escurecer e vão levar umas duas horas para voltar, isso será feito.
     Apesar de estar quente do lado de fora e o sol estar a brilhar, eu me arrepio, e ele pega minha mão. 
     — Podemos caminhar juntos?
     — Talvez se contarmos para nós mesmos. Eu acho que é tudo na contagem, Ultravioleta. — Ele fala.
     Começamos-se, lado a lado. A lenda diz que você precisa contar cada passo enquanto você escala. Quando você chegar ao topo, olhe para fora sobre as lápides e o campo, e você verá o fantasma do zelador original, que vai lhe mostrar uma visão de sua morte. Depois que ele desaparece, você volta a descer as escadas, contando mais uma vez. Se você obtiver o mesmo número que você contou indo para cima, você vai ficar bem. Mas se o número é diferente, a visão se tornará realidade, talvez até mesmo na mesma noite.
     Eu estou dizendo que os números a mim mesma silenciosamente até chegarmos ao topo, onde os passos desaparecem na grama. Eu paro, mas Finch continua indo, então continuo, e nós vamos, desde que nós podemos, a pesca para o último poucos degraus, e então estamos no pico do morro, em uma ampla área gramada com lápides tombadas em seus lados, todas, exceto uma, que se ergue como o Monumento de Washington.
     — Monólito — ele fala. — Isso, Ultravioleta, é um monólito. Mais conhecido como um obelisco. 
     A palavra me faz rir, ou talvez isso seja porque estou nervosa. Tento não pensar em Eleanor e na morte e no acidente. Quero fechar meus olhos no caso do zelador por algum milagre aparecer.
     Finch está rindo também, mas mais contido. Ele diz:
     — Eu acho que nós deveríamos ser respeitosos com os mortos para que então o zelador ressurgirá.
     Nós esperamos e esperamos, e em todo o tempo eu fico pensando, Por favor não deixe o zelador ressurgir. E de repente eu estou rindo mais uma vez do "obelisco", o qual Finch está agora cantando baixinho, procurando por alguma coisa que rime com isso. Nós viramos em todas as direções, mas a única coisa movendo além da gente é uma brisa suave. Finch fala:
     — Você já imaginou todas essas histórias? — Ele olha para baixo para as lápides. — Todas as pessoas nesse cemitério foram uma vez vivas. Elas tinham esperanças, sonhos e famílias. Elas eram odiadas, elas eram amadas. Elas fizeram coisas estúpidas, embaraçosas. Talvez algumas coisas podres e talvez boas ações, e agora aqui eles estão, e tudo que sabemos é quando nasceram e quando morreram, mas nenhum dos meios-termos. 
     — Os meios-termos — eu repito. 
     — É aí que a carne está. Essa é a coisa boa. Veja Harvey S. Webb aqui. Ele tinha quarenta e um anos quando ele morreu. 
     Paramos olhando para baixo para Harvey S. Webb, nascido em 1898, morrido em 1939. Sua lápide é cercada por uma cerca de metal enferrujado, cerca de dois pés de altura. A porta para a cerca se abre, rangendo na brisa. É um som assustador que me dá arrepios. 
     Eu esqueço de olhar para o zelador. Eu esqueço de pensar na minha própria irmã, nascida dezenove anos atrás, que morreu ano passado. 
     — Eu imagino como ele morreu. — Digo. 
     — Vamos dar-lhe uma história. E então vamos limpar o seu túmulo e todos esses túmulos que ninguém nunca visita, exceto crianças como nós em busca de um fantasma.
     Então andamos de túmulo para túmulo e Finch preenche os espaços em branco e os meios-termos. Damos a cada pessoa uma história, algumas engraçados, algumas triste, e então abaixamos nossas mãos e joelhos e puxamos as ervas daninhas que cercam as sepulturas e tentamos endireitar as que caíram. Em algum momento, Finch desaparece e quando ele volta, ele está carregando flores.
     — Onde você encontrou isso?
     Ele sorri, mexendo o cabelo nos seus olhos.
     — Você geralmente pode encontrar o que você procura quando você se concentra para isso, Ultravioleta. E vamos apenas dizer que eu as vi numa área enquanto estacionávamos o carro.
     Ele me dá metade do buquê e vamos aos redores do cemitério, deixando as flores sobre os túmulos. Eu penso, Acho que é isso que estamos deixando para trás dessa vez.
     Quando acabamos, o céu estava começando a ficar dourado e rosa. Voltamos a descer as escadas, lado a lado neste momento, e eu conto novamente. Eu realmente não acredito em fantasmas, mas por alguma razão eu fico aliviada quando conto o mesmo número que contei da primeira vez.
     — Eu contei cem exatamente, ambas as vezes. — Digo, atenuando meus olhos enquanto olho para ele. Seu rosto é difícil de ler.
     — Eu também — ele diz. — Cem subindo e descendo. 

     Mais uma vez ele me leva à minha porta, e mais uma vez ele sorri para mim, e mais uma vez ele não me beija. Nós estamos no passo, e se não fosse a meia-noite, eu o diria para entrar, mas a casa está escura e sei que meus pais estão na cama, ouvindo para eu passar pela porta. 
     — Eu queria poder lhe convidar a entrar. — E realmente queria. 
     — Mas está tarde. 
     — Está. 
     — Ultravioleta, eu poderia ficar acordado a noite toda com você. 
     Nenhum garoto nunca disse essas coisas para mim, assim como nenhum garoto jamais passou a tarde comigo inventando histórias em um cemitério. Eu posso sentir meus ouvidos ficarem vermelhos. 
     — Há tantos lugares para ver. Não sei como nós iremos colocá-los todos juntos. 
     — Acho que faremos apenas o melhor que pudermos. 
     — Eu gosto de você, Ultravioleta. 
     — Eu gosto de você também. 
     — Mas não da mesma forma que eu gosto do Charlie Donahue ou da Brenda ou da minha irmã Kate. 
     Eu rio e isso soa muito alto na noite calma. 
     — É melhor que você entre lá antes que eu suma do mapa e te arraste para Kokomo ou Fort Wayne. 
     Ele espera até que eu esteja com segurança antes que ele se afasta. Eu penso, Oh oh. E, por que agora? E, é assim que é se apaixonar? 
     Do andar de cima, minha mãe chama. 
     — É você, querida? 
     — Sou eu. Estou em casa. — Eu tranco a porta e olho pelo olho mágico, apenas no caso, mas ele se foi.

Finch
20 de setembro

     A verdade é que eu não cheguei aos cem. Subindo as escadas, eu contei noventa e oito. Descendo, contei noventa e nove. Isso não significa nada, e eu sei que isso não significa nada, mas há um sentimento que eu não posso deixar pra lá.
     Em casa, ninguém espera acordado por mim. As luzes estão ligadas no quarto da Decca e no da mamãe, e a música está vindo debaixo da porta da Kate. Eu quase bato. Poderia ficar Eu quase bater. Eu poderia entrar e contar a ela sobre meu dia e mantê-lo vivo um pouco mais falando sobre ele. Mas em vez disso eu ando direto para o meu quarto e troco de roupa, pego o violão e tento tocá-lo, então desisto e sento em frente ao computador, girando minha cadeira em torno dele, a única maneira que consigo compôr.
     20 de setembro. Método: nenhum. Numa escola de um a dez, quanto cheguei perto? Zero. Curiosidades: Em 2008, um homem no Six Flags Over Georgia deixou cair seu chapéu em uma montanha russa. Depois que sua volta acabou, ele pulou duas cercas para buscá-la, e a montanha-russa veio e bateu a cabeça dele. Eu chamo isso de algumas em estado grave de asneira irônica. Fatos relacionados: A Euthanasia Coaster não existe de verdade. Mas se existisse, seria um passeio de três minutos que envolve uma subida quase um terço de uma milha de comprimento, até 1600 pés, seguido por uma queda pura e sete loops. Essa descida final e série de loops levam sessenta segundos, mas a 10 Gs força gravitacional que resultam das 223 milhas por hora laços é o que mata você.
     Eu paro de tentar.
     É difícil concentrar porque minha pele parece —bem— desligada, por falta de uma descrição melhor. Eu arranho um abraço e o outro, estico-os acima da minha cabeça, levanto, me movimento, me sento.
     Eu digito um pouco mais.
     Paro novamente. Arranhar. Esticar. Levantar. Movimentar. Sentar.
     Digito.
     Paro.
     Desço as escadas.
     Pego as chaves.
     Não deixo uma nota, pois sei que ninguém sentirá minha falta.

     Duas horas mais tarde, Little Bastard e eu estamos de volta ao Brazil, de volta ao One Hundred Steps Cemetery, onde eu ando para cima e para baixo pelas escadas contando. O ar é tão calmo que parece morto como o Harvey S. Webb. As flores que a Violet e eu colocamos nos túmulo continuam lá.
     Estou cercado pela morte iminente, sem peso de todas essas pessoas mortas, que não são nada agora, mas fragmentos de ossos enterrados no interior da terra. Eu subo, eu desço, subo e desço, até que finalmente conto o mesmo número em ambos os sentidos: cem. Porque, tudo bem, eu posso ter me enganado, eu subo e desço mais uma vez, e desta eu não confundi tudo, nem um pouco, e eu ainda estou em cem.
     Julijonas Urbonas, o homem que pensou na Euthanasia Coaster, afirma que é projetada para "humanamente —com elegância e euforia— tirar a vida de um ser humano." Esses 10 Gs criam força centrífuga suficiente no corpo de modo que o sangue corre para baixo em vez de até o cérebro, o que resulta em algo chamado hipóxia cerebral, e isso é o que mata você.
     Estou na parte inferior destes passos quebrados, enterrados, na noite escura de Indiana, debaixo do céu, e penso na frase "elegância e euforia", e como ela escreve exatamente o que eu sinto com a Violet.
     Pela primeira vez, eu não quero ser ninguém mas Theodore Finch, o garoto que ela vê. Ele entende como é ser elegante, eufórico e uma centena de pessoas diferentes, a maioria delas falhas e estúpidas, parte idiotas, parte príncipes, parte estragadas, parte aberrações, um garoto que quer ser fácil para as pessoas para que ele não tenha que preocupá-las e, acima de tudo, fácil para si mesmo. Ele é exatamente quem eu quero ser e o que eu quero que eu epitáfio diga: o garoto que Violet Markey ama.

LETRA DA MÚSICA "YOU MAKE ME HAPPY"

You Make Me Happy



You make me happy,

Whenever you’re around I’m safe inside your sunshine smile,

You make me handsome,

Whenever I feel like my nose just seems a bit too round,

You make me special, and God knows that I’ve longed to be that kind of guy

      to have around,

You make me lovely, and it’s so lovely to be lovely to the one I love.


Remember how we joked and laughed and danced across the grass, 
so hungry but too hooked to eat?
And suddenly a symphony right on the lake inspired me, 
with you and William Clark to blame. 
I tried to share my favorite word, but obelisk was all you heard, 
I swear I told the straight up truth.
And certainly it may sound quaint but it’s so much to let me say:

You make me happy,
When all the radios are tuned to my least favorite song,
You make me thankful,
That I could get the chance to be the pit inside your peach or plum.
You make me feel good, and God knows that a minute without that can feel
      a thousand years.
You make me love you, and that could be the greatest thing my heart was
      ever fit to do.

Remember how the flowers seemed to glow inside our hands as we washed off
the feet of Christ, and Valentino’s cozy corner felt like heaven for a moment, 
while the psychic blessed our minds, and Hollywood forever stayed
inside the scrapbook that we made and ended with a dinner date. And though
it’s simple it still means the best day that I’ve lately seen……

You make me happy, when we sit and contemplate the rough times that we’ve
      had to win, 
You make me gentle, a peaceful breeze upon my storm to let me know I’ll be ok,
You’re like an angel, I do believe you’ve come to be the guide inside my 
      searching light,
You make me love you, 
and that could be the greatest thing my heart was ever fit to do.

If Clifton Webb could haunt a word he’d say “just fix my swinging door” it’s bad 
enough you’ve wrecked my home, and little rascals there we stood and gave a moment
for your good, and is that Petey or your dog? And don’t forget the funny bird, and
pinwheel that seemed so absurd, but must have meant a lot to them, and in
two weeks we’ll fly again, perhaps a Chinese dinner then.

You make me happy, you make me smile.

Você me faz feliz (tradução)

Você me faz feliz,
Sempre que está perto, estou seguro em seu sorriso.
Você me faz belo,
Sempre que sinto que meu nariz é grande demais.
Você me faz especial, e Deus sabe o quanto esperei pra ser o tipo de cara que se quer por perto.
Você me faz adorável, e é tão adorável ser adorado por aquela que adoro.

Lembra como brincamos, rimos e dançamos sobre a grama, com fome mas muito viciados para comer?
E de repente uma sinfonia direita no lago me inspirou,
com você e com William Clark para culpar.
Eu tentei compartilhar minha palavra favorita, mas obelisco era tudo que você ouvia,
Jurei que eu contaria com sinceridade
E certamente isso pode soar bizarro, mas é muito me deixar falar:

Você me faz feliz,
Quando todos os rádios estão ligados na minha última música favorita,
Você me faz agradecido,
Que eu poderia ter a chance de ser o buraco dentro do seu pêssego ou ameixa.
Você me faz sentir bem, e Deus sabe que um minuto sem isso pode parecer mil anos.
Você me faz amar você, e isso pode ser a melhor coisa que o meu coração estava apto a fazer.


Lembre-se de como as flores pareciam brilhar dentro de nossas mãos enquanto lavávamos

os pés de Cristo, e canto acolhedor do Valentino pareceu como céu por um momento,

enquanto o psíquico abençoado nossas mentes, e Hollywood sempre ficou

dentro do álbum que fizemos e terminou com um jantar. Embora

simples ainda significa o melhor dia que eu vi ultimamente.



Você me faz feliz, quando nos sentamos e contemplamos os tempos difíceis que tivemos de vencer,
Você me faz suave, uma brisa pacífica sobre a minha tempestade para me deixar saber que vou estar bem,
Você é como um anjo, eu acredito que você veio a ser o guia dentro da minha procura da luz,
Você me faz te amar,
e isso pode ser a melhor coisa que meu coração estava apto a fazer.

Se Clifton Webb poderia assombrar uma palavra que ele diria "apenas corrigir a minha porta giratória" é ruim
o suficiente você destruiu minha casa, e patifes pequenos lá, levantou-se e deu um momento
para o seu bem, e é que Petey ou o seu cão? E não se esqueça o pássaro engraçado, e
cata-vento que parecia tão absurdo, mas deve ter significado muito para eles e, em
duas semanas voaremos de novo, quem sabe a um restaurante chinês.

Você me faz feliz, você me faz sorrir.



OS LUGARES INCRÍVEIS


     Boa parte do livro gira em torno das andanças que o Finch e a Violet fazem, eles vão a lugares lindos, cada um com suas peculiares. Listei aqui os 28 lugares com fotos e informações. As fotos foram pegas da internet e as descrições foram retiradas do próprio livro. ALGUMAS IMAGENS DOS LUGARES NÃO FORAM ENCONTRADAS (ou eu não tinha certeza de que elas realmente eram as corretas).
1. Hoosier Hill 


Pico mais alto de Indiana, o monte Hoosier, conforme afirmado no livro, fica a 383 metros acima do nível do mar. O lugar pertence a uma propriedade privada, mas trilha, placa e área de piquenique foram construídas para receber visitantes.


2. Conner Prairie 


Localizado na cidade de Fishers, o Parque Histórico Conner Prairie é um museu interativo a céu aberto. Visitando a sua principal construção, a casa de William Conner, que data do século XIX, e interagindo com os funcionários, que se vestem, falam e se comportam como se vivessem nessa época, o público pode descobrir como era a vida na região dois séculos atrás.

3. The Levi Coffin House 



Construída em 1839 em Fountain City, a casa de Levi Coffin era uma das paradas nas rotas de fuga clandestinas dos escravos americanos. Estima-se que Levi e sua esposa Catherine ajudaram mais de dois mil escravos a escapar para o Canadá ou para estados do norte onde a escravidão já havia sido abolida.
4. Lincoln Boyhood National 


Memorial O Memorial Nacional da Infância de Lincoln é um museu que preserva a fazenda onde o expresidente dos Estados Unidos viveu quando tinha entre sete e vinte e um anos. Localizado ao sul do estado, em Lincoln City, contém painéis de pedra retratando diferentes fases da vida de Lincoln, assim como artefatos do início do século XIX. 

5. James Whitcomb Riley’s Boyhood Home 


Nascido em Greenfield em 1849, James Whitcomb Riley escreveu diversas obras para crianças, além de poemas humorísticos ou sentimentais. Sempre incluía em seus textos marcas do dialeto de Indiana. A casa onde ele nasceu e passou a infância se tornou um museu, que abriga alguns de seus manuscritos e leva os visitantes de volta aos anos 1850 e 1860. 

6. The Purina Tower 


Divisão de ração animal da empresa Nestlé, a Purina construiu em 1951 uma usina na cidade de Richmond. Feito de concreto, o edifício tem quase 47 metros de altura. No final do ano, um conjunto de luzes é pendurado no topo, se assemelhando a uma árvore de Natal. 

7. Dune State Park 


O Parque Estadual das Dunas, oficializado em 1925, fica ao norte de Indiana, à beira do lago Michigan. As dunas chegam a sessenta metros acima do nível do lago, compondo uma paisagem que levou milhares de anos para se formar. O local é habitat de várias espécies de plantas e animais, e os visitantes podem fazer piqueniques, trilhas, pescar e nadar. 

8. World’s Largest Egg 


O ovo da cidade de Mentone é feito de concreto, pesa 1360 kg e possui três metros de altura. Foi construído originalmente em 1946 para divulgar o “Festival do Ovo”, que ainda acontece anualmente na cidade. 

9. Home of Dan Patch, the Racehorse 


No início do século XIX, o lendário cavalo Dan Patch quebrou recordes mundiais de velocidade pelo menos catorze vezes em sua categoria. Na época, ele se tornou um ícone do esporte e sua figura esteve presente em propagandas dos mais variados produtos. Em sua cidade de origem, Oxford, o Dia de Dan Patch é comemorado até hoje, e o estábulo onde ele nasceu está preservado, junto a um túmulo simbólico. 

10. Market Street Catacombs 


Poucos sabem, mas sob o movimentado Mercado Municipal de Indianápolis existe uma rede de túneis que data dos anos 1880. Construídas em calcário e tijolos, as catacumbas eram usadas para transporte e armazenagem de alimentos, já que não havia refrigeração e o subsolo era mais fresco. Visitas podem ser agendadas. 

11. Seven Pillars 


Em Miami County, à beira do rio Mississinewa, há sete colunas de calcário que ficaram conhecidas como Sete Pilares. A paisagem estonteante foi formada ao longo dos anos, conforme o vento e a água erodiam a rocha, esculpindo as colunas arredondadas e as grandes reentrâncias. 

12. Indiana Baseball Hall of Fame 

Localizado na cidade de Jasper, desde 1979 o Hall da Fama do Beisebol já homenageou 164 pessoas, em quatro categorias diferentes: jogador profissional, treinador/ técnico (colégio, faculdade e profissional), colaborador e veterano (treinador experiente ou aposentado). O museu é aberto à visitação e conta com diversos itens relacionados ao esporte, além de conteúdo multimídia. 

13. The Bookmark Bookstore 



Localizada em Fort Wayne, a livraria Bookmark possui em seu acervo livros novos e usados. O estabelecimento compra e revende livros didáticos para os alunos das faculdades da região. 

14. Blue Flash & Blue Too Roller Coasters 


As montanhas-russas Blue Flash e Blue Too (Flash Azul e Outra Azul) foram construídas em 2001 e 2006, respectivamente, no quintal de seu criador, John Ivers, na cidade de Bruceville. Ambas foram feitas com peças de carro e de equipamentos agrícolas. John recebe visitantes durante os fins de semana com agendamento prévio. 

15. Painted Rainbow Bridge 


Cruzando o Canal Central de Indianápolis em direção ao bairro alternativo de Broad Ripple Village, a ponte Arco-Íris funciona como ponto de encontro para eventos locais, manifestações, feiras de arte e desfiles. Tem esse nome porque é pintada regularmente pela comunidade local de vermelho, laranja, amarelo, verde, azul e roxo. 

16. Periodic Table Display 


A Universidade DePauw, em Greencastle, reuniu amostras de quase todos os elementos da tabela periódica em um só lugar, cada qual ocupando um cubo de quinze centímetros. É possível descobrir a aparência de elementos menos conhecidos e ver as diversas formas que os mais comuns podem tomar (como o cobre, que pode ser encontrado em fios, pregos ou puro). Os elementos que não estão presentes são perigosos ou instáveis. 

17. Reno Brothers Lynching & Burial Site 



No Cemitério Municipal de Seymour estão enterrados Frank, William e Simeon Reno, irmãos e líderes da gangue que executou o primeiro roubo de trem do mundo, no final da Guerra Civil Americana. Em 1868, eles foram linchados por justiceiros que invadiram a cela onde os três estavam presos. Ainda assim, as histórias da gangue viraram lenda e passaram a fazer parte do imaginário do Velho Oeste. 

18. Empire Quarry 


No sul de Indiana, perto de Bloomington e Bedford, há uma série de pedreiras de calcário — hoje desativadas — que forneceram o material necessário para a construção de diversos edifícios americanos importantes. Da principal delas, Empire Quarry, saíram toneladas de pedra para a construção do Empire State Building, em Nova York. 

19. Indiana Moon Tree 


O sicômoro gigante cresceu a partir de uma semente levada à Lua e trazida de volta pelo astronauta Stuart Roosa, na Apollo 14, em 1971. Localizada em Indianápolis, é uma das cinquenta árvores que ainda estão vivas entre as quinhentas originais. Há mais três delas em Indiana, nas cidades de Cannelton, Lincoln City e Tell City. 

20. Kokomo 


Desde 1999, centenas de reclamações foram feitas pelos habitantes da cidade de Kokomo relatando um zumbido que desencadeava sintomas como dor de cabeça, náusea, diarreia, cansaço e dor nas juntas. Em 2002, a cidade investiu cem mil dólares numa investigação, e as possíveis causas do barulho foram extintas. Porém, alguns habitantes continuaram a reclamar do misterioso zumbido. 

21. Gravity Hill 


As chamadas “gravity hills” (colinas da gravidade, em português) são declives que, por uma ilusão de óptica criada pela paisagem no entorno, parecem subidas. Assim, quando deixamos o carro em ponto morto na base da ladeira, temos a impressão de que ele sobe sozinho, quando na verdade está descendo. Em Indiana, há uma colina na cidade de Mooresville. No Brasil, há uma ladeira semelhante em Belo Horizonte: se chama rua do Amendoim. 

22. Blue Hole Lake 

Na saída da cidade de Prairieton está o Buraco Azul, um lago que inspirou uma série de lendas locais. Assim como Finch conta para Violet, dizem que ele não tem fundo, que guarda tesouros piratas, que é habitado por monstros e que já serviu como esconderijo de cadáveres. Há ainda histórias de acidentes envolvendo ônibus e trens que caíram no lago e nunca mais foram achados, e de pessoas que foram nadar no local e nunca mais apareceram. 

23. Nest Houses 


Nascido em Oklahoma e criado na Carolina do Norte, o artista Patrick Dougherty cria suas esculturas tecendo galhos em formas de casas, cabanas, casulos, jarros ou corpos humanos. Suas obras chegam a doze metros de altura e têm um tempo de vida limitado, devido à decomposição e à ação das intempéries sobre o material orgânico. As Casas-Ninho ficavam na Universidade do Sul de Indiana, em New Harmony. 

24. Shoe Tree 


Num cruzamento de quatro vias em Milltown, estão as árvores de sapato. A original de fato foi atingida por um raio, e o costume se espalhou pelas árvores adjacentes. Não se sabe ao certo a motivação por trás da atividade, mas diz a lenda que quem deixar um par de sapatos ali terá sorte por um ano. 

25. World’s Largest Ball of Paint 


A história de Michael Carmichael e sua bola de tinta gigante contada no livro também é verídica. A bola foi criada a partir de camadas e mais camadas de tinta, pintadas sobre uma bola de beisebol desde 1977. Hoje em dia está num galpão na casa de Michael, nos arredores da cidade de Alexandria, e os visitantes que contribuem com uma camada assinam um livro de registros, tiram foto e ganham um certificado. 

26. Pendleton Pike 

Drive-In Inaugurado em 1940 na cidade de Lawrence, foi um dos primeiros cinemas drive-in do estado. Capaz de acomodar cerca de quinhentos carros e com um pequeno parque de diversões acoplado, funcionou até 1993. Hoje só resta a tela em decadência. 

27. Lady of Mount Carmel Monastery 


O Mosteiro de Nossa Senhora do Carmo realmente existe, na cidade de Munster, e abre para visitação aos domingos. Os santuários são feitos de pedra, decorados com vitrais nas janelas e esculturas de mármore, e uma das principais atrações é a sala iluminada por luz negra, a Ultraviolet Apocalypse. 

28. Emmanuel Baptist Church 

O lugar da última andança de Violet, percorrendo as últimas atrações visitadas por Finch, é uma igreja que realmente existe. Ela fica nos arredores de Farmersburg, perto de um lago.

1 comentários:

  1. Esse livro é tão lindo, e ler esses capítulos inéditos e ver imagens reais dos locais onde eles foram aquecem o coração e me fazem lembrar o quanto a história me tocou <3

    entre-linhaseparagrafos.blogspot.com

    ResponderExcluir